Todos juntos somos fortes

Não devemos ser escravos de um padrão, de uma época, de um costume.

A floresta é nossa

A Lei Florestal está ameaçada pela bancada da moto-serra.

Surfistas criam prancha feita com 90% de materiais renováveis

A utilização de materiais que não fazem mal ao planeta pode ser encontrada em vários objetos, inclusive em pranchas de surf.

Ato Contra Energia Nuclear

O Brasil precisa de energia limpa.

Todos por praias mais limpas

A campanha “Vamos Limpar o Mundo” 2010, aconteceu na cidade de Itanhaém e contou com a participação de voluntários por toda a cidade.

sábado, 30 de maio de 2009

“Os bois comerão a Amazônia em 20 anos”

Para economista Guilherme Dias, o modelo de produção agropecuária atual e a aprovação da medida provisória que regulariza terras griladas poderão devastar a Amazônia brasileira.


A abertura de pastagens na Amazônia é responsável por 78% do desmatamento na região. Parte desses pastos depois, se torna lavouras de soja, algodão ou outros grãos. Assim, a fronteira agropecuária do Brasil avança em direção à floresta amazônica. Segundo o economista e especialista em produção agropecuária Guilherme Leite da Silva Dias, se não barrarmos essa expansão e mudarmos o modelo de pecuária extensiva para a intensiva, em 20 anos, as florestas terão sido devastadas pelos bois. “Se deixar do jeito que está, os bois comerão a Amazônia em 20 anos e não há restrição de clima ou solo para isso”, diz.

Para Dias, se a medida provisória 458/09 for aprovada, ficará ainda mais difícil frear o desmatamento. A MP permite que a propriedade de terrenos de até 1500 hectares (15 km²) ocupados na Amazônia Legal seja transferida pela União sem licitação a quem os ocupou até 1º de dezembro de 2004. Dias considera essa medida uma nova “Lei de Terras”, como a que o Brasil teve em 1850 e legitimava o usucapião, ou a “posse pelo uso”, que daria legitimidade à grilagem. A MP foi aprovada pela Câmara na metade do mês de maio e espera agora aprovação do Senado.

O avanço da fronteira agrícola na Amazônia é motivada, principalmente, por dois fatores: a crescente demanda dos consumidores pelos produtos e o baixo preço das terras ilegais da floresta. Estima-se que, a cada dez anos, o consumo de carne bovina estimule um crescimento de 35% no setor pecuário.

Modelos de produção sustentável e intensiva ajudariam a diminuir a invasão das florestas nativas mas a sua adoção pelos produtores ainda é pequena. Dias afirma que a produção intensiva não é bem aceita por quem depende financeiramente do setor. Como concentra a produção e os serviços num espaço menor, ela exige uma cadeia menor entre produção e comércio e, por isso, gera menos renda e precisa de menos trabalhadores.

Apenas 10% das fazendas adotam a produção intensiva, mas essa minoria prova que ela é possível. A ONG Aliança da Terra, por exemplo, agrega mais de 60 produtores rurais que adotaram um modelo produtivo que respeita os recursos naturais ao mesmo tempo em que é economicamente viável.

Os fazendeiros da Aliança da Terra estão concentrados principalmente na região amazônica, na bacia do Rio Xingu e no noroeste de Mato Grosso. Eles adotaram o chamado “sistema de integração lavoura-pecuária”, que permite a alternância de produção de soja e pastagem de boi num mesmo ano. De novembro a fevereiro, a soja é plantada e colhida. Depois da colheita, durante a época de chuvas, sementes como as de agrião são plantadas para fornecer capim ao gado que se alimentará no local a partir de junho.

Segundo Marcos Reis, diretor da Aliança da Terra, esse sistema demanda uma manutenção do solo que não é complexo nem caro. É possível ter pastagens de gado com uma média de seis a oito bois por hectare, enquanto a média na Amazônia é entre 0,4 e 0,6 bois por hectare.

Reis é de uma família de ruralistas e acredita que hoje há uma nova geração de produtores que se preocupa com a terra e a região onde está e pensa no futuro dos recursos naturais. Por isso, para ele, o sistema intensivo tem muito potencial de expansão. “Não precisamos derrubar mais nenhuma árvore na Amazônia”, diz. Para que os bois não “comam” toda a floresta, como Guilherme Dias teme, é preciso que que os sistemas mais sustentáveis, como os que Aliança da Terra promove, ganhem espaço no setor agropecuário brasileiro.

Fonte: Época

sexta-feira, 29 de maio de 2009

Produções Caiçaras

Quem tiver um tempinho, assista essa produção dos irmãos caiçaras de Paranaguá!!! Um seriado que revela as lendas (antigas e atuais) da vida caiçara, tendo como principais personagens Angicleriston e Angiberiston!!!





Aproveito também para divulgar o blog dos irmãos jovens caiçaras de Guaraqueçaba, que vem de encontro com a proposta de utilizar a mídia como forma de disseminar os saberes e fazeres caiçaras numa linguagem que seja a cara da juventude caiçara... Lembrando que no II Encontro de Fandango e Cultura Caiçara realizado em 2008 em Guaraqueçaba, jovens do Coletivo Jovem Caiçara de Cananéia e de Guaraqueçaba produziram durante o evento um informativo impresso (O Pixirum) que contribuiu para a continuidade dessa proposta, só que agora através de um blog, vale a pena conferir: Click Aqui

Por: Cleber
CJ Caiçara

quarta-feira, 27 de maio de 2009

Dia da Mata Atlântica - Temos o quê comemorar?

Hoje é o dia da Mata Atlântica, será que temos o quê comemorar, ou temos muito com o quê nos preocupar?

Segue um vídeo que traz a importância da floresta que possui a maior biodiversidade do mundo!!!

terça-feira, 26 de maio de 2009

Nova "Cara" para Ecobservar


O Blog Ecobservatório criado em 2007 está de "Cara" nova. Com mais de 180 postagens e com cobertura de Conferências, Fóruns nacionais e internacionais que abordam a temática ambiental, ação dos movimentos sociais e muito mais coisas na bagagem, ele chega nessa nova etapa da sua existência virtual com uma roupagem nova.

A proposta desse novo "velho" espaço para a dicussão sobre todo o universo comunicativo ambiental, está sendo inserida junto a uma maior dinamica para a leitura das informações editadas, assim como, na navegabilidade dos "Ecobservadores" que nos acompanham e mesmo para aqueles que irão nos acompanhar.

Sejam bem vindos(as) e se tornem Ecobservadores do seu mundo, para uma visão comum do nosso Planeta!!!

segunda-feira, 25 de maio de 2009

ONG Ecosurfi no Viva Mata 2009

A presença de mais 15 mil pessoas que passaram pela marquise do Ibirapuera nesse final de semana, foi o grande combustivel do Viva Mata 2009, o que possibilitou um sucesso total, durante os três dias de atividades que foram realizadas em São Paulo.

Com estandes temáticos que traziam informações sobre todas as áreas de ocorrência de projetos voltados para a preservação e restauração da Mata Atlântica, à ações de pesquisa e eduação ambiental na área costeira, todas exposições eram atendidas por voluntários e dirigentes dos projetos que estavam sendo expostos nos estandes
.


A Ecosurfi marcou presença no espaço "Costa Atlântica", onde a organização expôs painéis sobre suas atividades no litoral paulista, demonstrando parte do trabalho voltado para a sensibilização e educação ambiental.


Com seus voluntários de plantão, foi possivel atender aos visitantes e falar sobre o trabalho que a organização vem fazendo desde o ano 2000.



Confira a galeria de fotos do Viva Mata 2009
Viva Mata 2009

Cansado das promessas de salvar o planeta?

Não se iluda: ninguém vai salvar o planeta. Ele simplesmente não precisa ser salvo. Está muito bem, existe há 4 bilhões e meio de anos e já passou por situações muito, mas muito piores, do que a “incômoda e encrenqueira” presença dos seres humanos e sua poluição industrial de 200 anos.

“Nos achamos muito importantes e agora todos querem salvar alguma coisa. Salvar o planeta? Nós nem sabemos cuidar de nós mesmos!”, criticava (no vídeo abaixo) o humorista George Carlin, que, há quase um ano, morreu de infarto.

Para ele, assim como 90% das espécies que já existiram no planeta e foram extintas – “25 espécies desaparecem todos os dias e nós não matamos todas elas!” –, também desapareceremos e nosso fim já começou.

De que maneira? Carlin sugere que talvez a Terra tenha ‘pensado’ em um vírus – que entra em mutação sempre que uma nova vacina é desenvolvida, compromete a imunidade dos seres humanos, de modo que eles fiquem vulneráveis a toda e qualquer doença, e seja transmitido sexualmente, para que a espécie tenha medo de se reproduzir.

E porque o planeta permitiu que estivéssemos aqui até agora? “Pelo plástico! A Terra não tem preconceito contra o plástico, ele saiu dela e é só mais um de seus filhos. Ela queria plástico, não sabia como fazer e precisava de nós!” 

Num tom espiritualista, Carlin acreditava que somos parte de uma sabedoria maior que está além de nossa compreensão, a que ele chama de Grande Elétron. “Ele não pune, não recompensa e nem mesmo julga. Ele simplesmente é. E nós também somos, por um pouco de tempo”.






fonte: Super Abril

sexta-feira, 22 de maio de 2009

PV EM DEFESA DAS RESTINGAS BRASILEIRAS

O Partido Verde alerta a sociedade para a grave ameaça às áreas de restinga, caso o Projeto de Decreto Legislativo (PDC) nº 616/08, em discussão na Câmara dos Deputados, venha a ser aprovado. A proposta suspende parte da resolução nº 303/02 do Conselho Nacional do Meio Ambiente (CONAMA) que considera as regiões de restinga como Áreas de Preservação Permanente (APPs). Caso se perca esta proteção, a função ambiental das restingas fica comprometida de forma irreversível, permitindo a implantação de projetos econômicos, como é o caso da expansão imobiliária litorânea e a carcinicultura.

O projeto de autoria do deputado Fernando Chucre (PSDB-SP), que pode ser votado a qualquer momento pela Comissão do Meio Ambiente da Câmara, coloca em risco o equilíbrio ecológico desse ecossistema extremamente frágil. Qualquer ato que tenha por finalidade extinguir as restingas causará um enorme dano ao meio ambiente, bem como aos ecossistemas que delas são dependentes. Sem as restingas as dunas não poderão fixar-se devido a sua constante movimentação pela força dos ventos. Além disso, nelas se encontram diferentes comunidades que recebem influência marinha.

O dispositivo do CONAMA que o autor do projeto quer alterar, define como Área de Preservação Permanente toda área situada em restingas, em faixa mínima de 300 metros, medidos a partir da linha de preamar máximo. Consideramos que qualquer iniciativa no sentido de questionar a medida criaria “uma área cinzenta” no meio jurídico dos órgãos que integram o Sistema Nacional de Meio Ambiente (SISNAMA) aumentando o grau de insegurança dos atos normativos em vigor, bem como o nível de tensão que já ocorre entre a área ambiental e o setor privado.

Vale lembrar que o CONAMA é o órgão consultivo e deliberativo do SISNAMA, composto por 108 representantes: governo federal, governos estaduais, governos municipais, Ministério Público, Câmara dos Deputados, organizações não governamentais e setor produtivo, além de câmaras e grupos de trabalho que debatem tecnicamente as questões ambientais. Portanto, suas decisões são respaldadas pela sociedade brasileira.

O Partido Verde reforça a urgência de uma grande mobilização nacional em defesa das nossas restingas, para impedir a aprovação desse projeto que representa mais uma manobra contra a nossa legislação ambiental que enfrenta, hoje, um dos períodos mais críticos desde a aprovação da Política Nacional do Meio Ambiente (PNMA) e seguramente o pior momento desde a Assembléia Nacional Constituinte.

Vamos lutar contra mais essa tentativa de agressão ao meio ambiente!

quarta-feira, 20 de maio de 2009

"Home - Nosso Planeta, Nossa Casa" estréia mundial em 5 de junho



Trailer de "Home - Nosso Planeta, Nossa Casa". O documentário mostra que em algumas poucas décadas, a humanidade interferiu no equilíbrio estabelecido no planeta nos últimos quatro bilhões de anos, e que a humanidade teria somente dez anos para reverter essa situação. "Home - Nosso Planeta, Nossa Casa" tem estréia mundial prevista para o dia 5 de junho, o Dia Mundial do Meio Ambiente.

Fonte: http://ecoblogconsciencia.blogspot.com

quinta-feira, 14 de maio de 2009

Últimas vagas para o curso da Ecosurfi

Nesse final de semana acontece na cidade de Juquitiba/SP, o segundo curso de Lazer e Recreação Ecológica, ministrado pela ONG Ecosurfi. Entre as novidades dessa segunda edição, novas atividades voltadas para a sensibilização e educação ambiental, sem esquecer da parte de lazer e recreação que complementa a grade do conteúdo oferecido.

O curso da Ecosurfi surgiu como uma oportunidade de possibilitar aos participantes uma nova visão sobre como se “reconectar” com os sentidos naturais da vida, e tem como diferencial as “Vivências na natureza”, que oferece dinâmicas que vão desde atividades sensoriais em trilhas à meditação.

Toda a forma elaborada para o trabalho oferecido tem como base pedagógica o reencantamento humano, contato corporal e espírito de coletividade, tudo isso para celebrar a GAIA e despertar a reflexão da relação humana com o planeta Terra e todos os seus sistemas naturais.

Para o Idealizador do curso e dirigente da Ecosurfi, Marcus Vinicius, chegar a um conceito de recreação ecológica é como mudar um pouco da ótica de perceber o mundo. "Essa é uma das formas da Ecosurfi de refletir e praticar os valores da sustentabilidade por meio da interação intencionalmente planejada, sendo alegre e promotora da felicidade".

O curso terá a duração de três dias, de 15 a 17 de maio, e será realizado no acampamento Vale dos Mananciais.

* Para maiores informações acesse: www.recreacaoecologica.blogspot.com, ou pelo telefone 13 9718 1872 / 13 3426 8138.

quarta-feira, 13 de maio de 2009

O cinema invade a selva !!!



Para conhecer o canal Pele Verde Click aqui

terça-feira, 12 de maio de 2009

Controle Humano: Tempo antigo esse tempo novo

terça-feira, 5 de maio de 2009

O "Semeador de Estrelas"

O "Semeador de Estrelas" é uma estátua que está em Kaunas, Lituânia. Durante o dia pode até passar despercebida, como mostra a foto. Um bronze a mais, herança da época soviética:

Mas quando a noite chega, a estátua justifica seu título. Com a escuridão seu nome passa a fazer sentido. Vejam então a foto tirada à noite:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Creative Commons License
Ecobservatório by João Malavolta is licensed under a Creative Commons.
Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More